Astrónomos descobrem planeta no Sistema Solar mais próximo da Terra

17-10-2012 14:47

Astrónomos do Observatório Europeu do Sul (ESO) encontraram um planeta semelhante à Terra na órbita de uma estrela do sistema Alpha Centauri, o mais próximo do Sistema Solar, a apenas quatro anos-luz de distância.

 

 

Astrónomos europeus descobriram um planeta com quase a mesma massa da Terra que orbita uma estrela no sistema mais próximo de nós, o Alpha Centauri, a apenas 4,3 anos-luz de distância. Segundo os cientistas, este exoplaneta – nome dado a planetas fora do Sistema Solar – é o primeiro corpo celeste "leve", parecido com o nosso, encontrado em torno de uma estrela como o Sol.

A descoberta aparece na edição online da revista "Nature" desta quarta-feira (17 de Outubro). O planeta, porém, fica fora da chamada "zona habitável" – distância à estrela principal onde a água, se estivesse presente, estaria em estado líquido – o que significa que este não é um "irmão gémeo" da Terra. Apesar disso, os autores dizem que as técnicas de observação usadas nesse estudo são capazes de atingir a precisão necessária para procurar outros planetas semelhantes ao nosso. A equipa do Observatório da Universidade de Genebra, na Suíça, e do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto, em Portugal, contou com a ajuda de um instrumento chamado Harps, instalado num telescópio do Observatório Europeu do Sul (ESO), na localidade de La Silla, no norte do Chile.

Na concepção artística, ao lado, o planeta encontra-se perto da estrela Alpha Centauri B – semelhante ao Sol, embora menor e não tão intensa – e à direita da Alpha Centauri A, uma das mais brilhantes do Hemisfério Sul. Estes dois astros, juntamente com outro mais fraco, avermelhado e perto da Terra, chamado Proxima Centauri, formam um sistema estelar triplo na constelação do Centauro.
O planeta fica a uma distância aproximada de 6 milhões de quilómetros (0,04 UA) da Alpha Centauri B, muito mais perto do que Mercúrio está do Sol, e demora 3,2 dias para orbitar a estrela – enquanto aqui na Terra, levamos 365 dias para dar uma volta completa ao redor do Sol. Segundo o principal autor do estudo, Xavier Dumusque, do Observatório da Universidade de Genebra, as observações foram feitas durante mais de quatro anos. Os sinais da existência do planeta são pequenos, mas reais. A equipe detectou esse corpo ao identificar desvios de movimento da estrela Alpha Centauri B, criados pela acção gravitacional do planeta em volta. De acordo com os astrónomos, essa interacção faz com que a estrela se desloque para a frente e para trás a 51 centímetros por segundo, ou 1,8 km por hora, velocidade correspondente a um bebê gatinhando. O primeiro exoplaneta a orbitar uma estrela como o Sol foi detectado por esta mesma equipa em 1995. Desde então, já foram descobertos outros 800. Apesar disso, a maioria dos planetas são maiores que a Terra e muitos são tão grandes como Júpiter – o gigante do Sistema Solar. A massa mínima desse "novo" planeta foi estimada, mas a previsão geralmente se aproxima da massa real. O grande desafio dos cientistas agora é encontrar um planeta com massa comparável à da Terra, que orbite uma estrela como o Sol e esteja a uma distância dele favorável à vida. Na opinião da co-autora Stéphane Udry, igualmente do Observatório de Genebra, este pode ser um planeta num sistema com vários deles. Isto porque, com base em descobertas anteriores anteriores, os corpos celestes com estas dimensões costumam estar integrados em sistemas mais amplos.

Artigo publicado na revista Nature: An Earth-mass planet orbiting α Centauri B

 

Adaptado de: Acompanhamento de PLanetas Extrasolares (APEX)

 

—————

Voltar