ESA utiliza Laser para estudar a atmosfera

11-12-2011 10:51

 

 

Durante as duas semanas, cientistas do Wegener Center da Universidade de Graz, na Áustria, e das Universidades de York e Manchester, no Reino Unido, recolheram os primeiros dados da experiencia que a ESA levou a cabo nas ilhas Canárias, com sucesso.

A experiência consistiu na emissão de um feixe de laser entre um monte da ilha La Palma e outro local na ilha de Tenerife, numa distância de 144 Km. As características do feixe, visível a olho humano, e de cor verde que iluminou o céu nocturno despertaram a curiosidade da população dado que se assemelhava ao filme ‘Guerra das Estrelas’.

A experiência testou a técnica de ‘espectroscopia de absorção diferencial no infravermelho’ medindo com precisão gases como o dióxido de carbono e o metano. Este novo método serve-se dos infravermelhos para traçar um perfil vertical das camadas da estratosfera.

Num determinado comprimento de onda, as moléculas da atmosfera alteram o feixe, e desta forma é possível calcular a concentração de gases e potencialmente medir a intensidade do vento.

A técnica conhecida como ‘ocultação’ baseia-se no seguimento de sinais de satélites à medida que estes surgem ou desaparecem no horizonte e é um método bem estabelecido de estudo da atmosfera.

O local para a realização da experiencia foi escolhido pela ESA por possuir características como a existência do observatório construído a 2390 metros de altitude e que faz parte da instalação astronómica Observatório del Teide, dirigido pelo Instituto de Astrofísica das Canárias, o Observatório del Roque de los Muchachos, no cimo de outro monte, na ilha La Palma e entre as ilhas o oceano atlântico não oferecer obstáculos à passagem do feixe.

 

Fonte/Adaptado de: Tv Ciência OnLine

 

—————

Voltar