Foi um português o primeiro a criar cálculo simples das órbitas dos cometas

14-11-2011 10:21

José Monteiro da Rocha estudado em tese de doutoramento

 

O “pai” da astronomia moderna portuguesa,  Monteiro da Rocha , foi o primeiro investigador mundial a criar um cálculo simples das órbitas dos cometas, concluiu um investigador de Coimbra na tese do doutoramento que apresenta em dezembro.

 

Na tese de doutoramento, intitulada “José Monteiro da Rocha e a atividade científica do Observatório Astronómico e da Faculdade de Matemática de 1772-1820”, o investigador Fernando Figueiredo concluiu que foi um português, e não o alemão Wilhelm Olbers, o primeiro a criar um cálculo simples das órbitas dos cometas.

“Lá fora o trabalho de Monteiro da Rocha nunca chegou a ser conhecido, mas se o tivesse sido poder-se-ia hoje ter também o nome deste português a par do do alemão Olbers, como sendo os primeiros inventores de um método prático para a determinação das órbitas parabólicas dos cometas”, disse Fernando Figueiredo, em entrevista à Agência Lusa.

Do trabalho de Fernando Figueiredo, investigador na área da História da Ciência na Universidade de Coimbra, conclui-se que Monteiro da Rocha apresentou o método simples em 1782, enquanto que o alemão Olbers só o descreveu 15 anos depois, em 1797.

O trabalho de Monteiro da Rocha, apenas publicado em 1799, foi vítima de ter sido escrito em português, um idioma periférico no século XVIII, explicou o investigador.

O problema da determinação da órbita dos cometas foi um assunto que ocupou os astrónomos desde que Newton publicara, em 1687, um método engenhoso, mas de difícil aplicação.

 
Ora, o alemão Wilhelm Olbers (1758-1840), conhecido na história como o criador de um método simples para determinar a órbita dos cometas, apresentou a descoberta em 1797, mas já em 1782 o português Monteiro da Rocha lera o cálculo das órbitas dos cometas em Assembleia da Academia. O trabalho só é publicado, todavia, em 1799, nas Memórias da Academia das Ciências de Lisboa.

Monteiro da Rocha foi o primeiro diretor do Observatório Astronómico de Portugal e o método que apresentou assenta nos mesmos princípios físicos e matemáticos do método de Olbers”, acrescenta o investigador, com mestrado em História e Filosofia da Ciência.

A tese de doutoramento de Fernando Figueiredo, bolseiro da Fundação para a Ciência e Tecnologia, vai ser defendida no próximo dia 13 de dezembro.

O trabalho debruça-se sobre a obra matemática e astronómica de Monteiro da Rocha (1734-1819) e está dividido em dois grupos: trabalhos de matemática aplicada e de astronomia.

Na obra científica de Monteiro da Rocha estão identificados 23 trabalhos impressos, 11 manuscritos conhecidos e cerca de 20 referenciados.

 

Fonte/adaptado: Ciência Hoje

—————

Voltar