Investigadores norte-americanos criam arma que dispara antimatéria

14-10-2013 15:18

Uma equipa de investigadores da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, criou uma arma que dispara antimatéria. Não é bem igual à que é descrita no livro «Anjos e Demónios» de Dan Brown, mas o equipamento é capaz de despejar rajadas de positrões parecidas com as geradas em potentes aceleradores de partículas, como o Grande Colisor de Hádrões (LHC), existente no CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear), na fronteira franco-suíça.

Os positrões são antipartículas que podem ser encontradas em jactos emitidos por buracos negros e pulsares (estrelas de neutrão), mas também podem ser criadas em laboratórios de física.
O recente estudo previu construir um dispositivo com cerca de um metro de comprimento capaz de gerar rajadas de electrões e positrões de forma parecida a que é emitida por buracos negros e pulsares – o que foi possível a partir do disparo de um laser potente (petawatt), uma amostra de gás hélio inerte.

O disparou causou a criação de um fluxo de electrões que se move a alta velocidade e que de seguida foram emitidos para uma folha fina de metal, levando-os a colidir com átomos de metais individuais. Estas colisões geraram uma corrente de emissões de electrões e positrões, que foram separadas com o uso de magnetos.

Cada rajada da arma dura apenas 30 femtosegundos (um milionésimo de um bilionésimo de segundo). Além disso, resulta na produção de quatrilhões de positrões, ou seja, um nível de densidade comparável ao que é produzido no LHC.

O dispositivo pode ser usado para simular os jactos de buracos negros e pulsares e permitir ajudar a responder algumas perguntas, como qual é a quantidade de energia que há nessas emissões e de que forma as partículas interagem com o ambiente em que são despejadas.

 

Artigo: A table-top laser-based source of femtosecond, collimated, ultra-relativistic positron beams

Fonte/Adaptado de: Ciência Hoje

—————

Voltar