Marte: Singularidades da bacia de Ladon

09-08-2012 11:44
Comunidade científica explica resultado de grandes fluxos de água e asteróides

Na parte sul de Marte existe uma cratera parcialmente enterrada, com cerca de 440 quilómetros de diâmetro, conhecida como a bacia de Ladon. A sonda Mars Express da Agência Espacial Europeia (ESA) captou imagens perto do local onde Ladon Vallis desemboca nesta grande bacia de impacto, e revela muitas singularidades, entre as quais se destaca o leito gretado das crateras Sigli e Shambe.



Os registos são do passado dia 27 de Abril, captados pela Câmara Estéreo de Alta Resolução (HRSC) da sonda, e são de grande interesse para a comunidade científica, uma vez que mostram antigos leitos de lagos e rios na superfície de Marte.

 

As crateras Holden e Eberswalde estavam entre os quatro candidatos ao lugar de aterragem da sonda MSL (Mars Science Laboratory) da NASA, que acabará por poisar sobre a cratera Gale, na passada segunda-feira.

Esta região está marcada por um fluxo de grandes quantidades de água, que num passado remoto desciam das terras altas do sul de Marte. A água escavou o grande Ladon Vallis, até desembocar na bacia de Ladon, uma antiga bacia de impacto de grandes dimensões. As crateras elípticas, como as que se podem ver nesta imagem são o resultado do impacto oblíquo de asteróides ou cometas contra a superfície do planeta.

A comunidade científica sugere que o padrão fluidificado que se pode distinguir sobre a capa do material que foi arrancado da cratera poderia indicar a presença de gelo debaixo da superfície do planeta, que se fundiu no momento do impacto. Choques posteriores deram lugar às crateras mais pequenas que salpicam a capa original de escombros.

Sigli e Shambe
Pensa-se que as crateras sobrepostas Sigli e Shambe se formaram mais tarde, quando um asteróide se partiu em dois, instantes antes de chocar contra o solo. Estas duas crateras foram-se enchendo de sedimentos com o passar do tempo.

O fundo de estas crateras está marcado por profundas gretas, que contrastam com as linhas mais subtis e arredondadas que marcam a parte central e direita da imagem. Estas últimas estendem-se para além dos limites da imagem, formando padrões concêntricos, e pensa-se que são o resultado da compactação da região sob o peso da imensa quantidade de sedimentos que o tempo foi depositando no interior da bacia de impacto.

A descarga de Ladon Valles, na bacia de Ladon fica a este das crateras de Sigli e Shambe, próximo da parte inferior desta imagem. Aqui, tal como noutros pontos da região, podem distinguir-se depósitos estratificados de um tom mais claro. Os investigadores descobriram que estes depósitos são constituídos por minerais argilosos, o que sugere que houve água líquida na região durante um período de tempo considerável.

Também se podem distinguir estruturas dendríticas serpenteando em direcção à bacia de impacto, por cima das crateras Sigli e Shambe, mais uma prova da acção da água na região.

 

—————

Voltar