'Maternidade de estrelas' ganha nome de poeta

07-02-2012 09:41
Imagem captada pelo Wide Field Imager, no Observatório de La Silla, Chile

O Wide Field Imager montado no telescópio MPG/ESO, instalado no Observatório de La Silla, no Chile obteve uma imagem de uma ‘maternidade estelar’ chamada NGC 3324. A intensa radiação ultravioleta emitida por várias das estrelas jovens quentes escavou uma cavidade no gás e poeira circundantes, fazendo com que a nuvem de gás brilhe com cores vivas. A Agência Espacial Europeia (ESA) emitiu um comunicado onde explica a formação e as cores que se podem apreciar na imagem. Devido ao seu perfil característico, os astrónomos deram à região a alcunha de ‘Gabriela Mistral’, a famosa autora chilena.

 

 

A NGC 3324 está situada na constelação austral de Carina (a quilha do navio Argo, de Jasão, na mitologia grega), a 7500 anos-luz de distância da Terra. Encontra-se nos arredores norte do ambiente caótico da nebulosa Carina. Um depósito rico em gás e poeira na região deu origem, há vários milhões de anos, a uma formação estelar intensa e levou à formação de estrelas grandes e quentes.

Segundo o comunicado da ESA, os ventos estelares e a radiação emitida por estas estrelas abriram um buraco no gás e poeira circundantes. “A radiação ultravioleta emitida retira electrões dos átomos de hidrogénio, que são seguidamente recapturados, originando um brilho de cor avermelhada à medida que os electrões decaem em cascata através dos vários níveis de energia, mostrando-nos toda a extensão do gás difuso local”, explica.

Outras cores vêm de outros elementos, “com o brilho característico do oxigénio duas vezes ionizado a tornar as partes centrais da imagem amarelo-esverdeadas”.

Os observadores das nebulosas encontram algumas formas nestas “nuvens cósmicas”. Uma das alcunhas da região NGC 3324 é ‘Nebulosa Gabriela Mistral’, nome da poetisa chilena que ganhou o prémio Nobel da literatura em 1945. As bordas da parede de gás e poeira à direita parecem-se bastante com uma cara humana de perfil, com o “alto” no centro correspondendo a um nariz.

O instrumento Wide Field Imager revela também muitas estruturas escuras na NGC 3324. Os grãos de poeira nestas regiões bloqueiam a radiação que vem do gás brilhante de fundo, criando estruturas filigrânicas sombrias que acrescentam mais uma camada evocativa à imagem.

 

Fonte/Adaptado de: Ciência Hoje

—————

Voltar