Neptuno completa "primeiro aniversário"

22-07-2011 10:29

 O planeta mais distante do Sol – depois da 'despromoção' de Plutão a planeta-anão – Neptuno, completou dia 13 de Julho de 2011 a sua primeira órbita, após a sua descoberta, há 165 anos.


A NASA publicou fotografias captadas pelo telescópio espacial Hubble em intervalos de quatro horas nas quais se podem apreciar os tons azulados e esverdeados deste planeta gasoso, também conhecido por 'planeta azul' tal como a Terra. Neptuno demora 164.78579 anos a completar a sua órbita e o seu período de rotação é de 16.11 horas.

Considerado um dos maiores achados da história da astronomia, Neptuno foi o primeiro planeta a ser descoberto através de previsões matemáticas. Foram as investigações sobre Urano, no século XVIII, nomeadamente sobre as suas inesperadas alterações de órbita, que levaram os investigadores a considerarem a hipótese da existência um planeta mais distante.

Os irmãos William e Caroline Herschel foram os astrónomos que descobriram Urano, em 1781. Pouco tempo depois perceberam que a sua órbita não funcionava de acordo com as leis de Kepler e Newton.

 

John C. Adams e Le Verrier calcularam e Gottfried Galle observou e identificou Neptuno
John C. Adams e Le Verrier calcularam e Gottfried Galle observou e identificou Neptuno
Quatro décadas mais tarde, o astrónomo francês Alexis Bouvard considerou igualmente a possibilidade da existência de um planeta que estivesse a exercer algum tipo de influência sobre Urano. Mas foram só passados 20 anos que o também francês Urbain Le Verrier e o britânico John Couch Adams, matemáticos e astrónomos, conseguiram prever, através de cálculos, onde se encontraria esse planeta.

 

Urbain Le Verrier que era, na época, director do Observatório de Paris, enviou uma nota ao alemão Johann Gottfried Galle onde descrevia a possível localização do objecto. Apenas em dois dias de observações, Galle conseguiu identificar Neptuno como um planeta. Estava a menos de um grau da posição que Adams e Le Verrier tinham calculado. A descoberta ocorreu a 23 de Setembro de 1846.

Sabe-se, no entanto, que Galle não foi o primeiro a observar o planeta, pois em Dezembro de 1612, Galileu Galilei encontrou-o enquanto observava Júpiter e os seus satélites. No entanto, pensou que se travava de uma estrela.



Viagem a Neptuno

 

Em 1977, a NASA lançou os Voyager 1 e 2, sondas espaciais que continuam a funcionar. Foi precisamente o Voyager 2 que visitou o planeta, a 25 de Agosto de 1989. Mediu a velocidade dos seus ventos – 450 metros por segundo – e a temperatura, que ronda os 210º abaixo de zero, sendo quase inexistente a energia solar.

Foi também com esta sonda espacial que se encontraram os quatro anéis completos de Neptuno, característica para a qual as observações terrestres já apontavam. Acredita-se que os dois anéis mais finos são os responsáveis pela estabilidade do planeta.

Neptuno tem 13 luas conhecidas, sendo a maior delas é Tritão, com 2700 quilómetros de diâmetro, descoberta pelo inglês William Lassell apenas 17 dias depois da descoberta do planeta. A mais pequena é Psámata, com um diâmetro de 28 quilómetros, e foi descoberta em 2003 por Scott Sheppard e David Jewitt.

 

FONTE: Ciência Hoje

—————

Voltar