Nuvem de gás é refeição do "ogre dos cosmos"

16-12-2011 14:54

O buraco negro supermaciço que se encontra no centro da Via Láctea prepara-se para engolir durante os próximos anos uma enorme nuvem de gás, segundo indicou hoje o Observatório Europeu do Sul (ESO). “Trata-se da primeira observação da chegada deste tipo de nuvem perto de um buraco negro supermaciço”, de acordo com o ESO, acrescentando que a nuvem se aproxima a uma velocidade de oito milhões de quilómetros por hora.
Esta descoberta, feita através do telescópio VLS, foi apresentada num artigo publicado na página Internet da revista científica  «Nature».  A velocidade da nuvem, descoberta pela equipa de astrónomos dirigida por Reinhard Genzel (Instituto Max Planck, Alemanha), quase duplicou ao longo dos últimos sete anos, atingindo já perto de oito milhões quilómetros por hora (2.350 quilómetros por segundo).

 

 

A progressão é feita numa órbita muito alongada e, durante o verão de 2013, a nuvem estará a 40 mil milhões de quilómetros do “horizonte dos acontecimentos” do buraco negro, limite a partir do qual não se sabe o que acontece. “Em termos astronómicos, trata-se de um encontro muito próximo com um buraco negro supermaciço”, sublinhou o ESO, precisando que 40 mil milhões de km são cerca de 50 vezes a distância que separa o Sol do planeta Júpiter.

O buraco negro, batizado «Sgr A» (Sagitário A estrela), situado no coração da Via Láctea, apresenta uma massa quatro vezes superior à do Sol. A nuvem de gás ionizado que será engolida tem uma massa três vezes superior à da Terra.

Quanto mais a nuvem, composta principalmente por hidrogénio e hélio, se aproxima do monstro, mais aumenta a velocidade, sob o efeito da enorme atracção gravitacional do buraco negro. As margens da nuvem já apresentam sinais de decomposição.

A sua temperatura, já de 280 graus centígrados, deverá subir para vários milhões de graus quando estiver mais próximo do buraco negro e antes de ser engolida. Os raios X emitidos pela matéria que gravita em torno de um buraco negro revelam à distância as “refeições destes ogres do cosmos”.

“Estes dois próximos anos anunciam-se apaixonantes. Deverão fornecer informações preciosas sobre o movimento da matéria em torno destes espantosos objectos maciços”, sublinhou Reinhard Genzel. Situado a 27 mil anos-luz da Terra, o buraco negro supermaciço da Via Láctea é o mais próximo da terra.

 

Artigo: A gas cloud on its way towards the supermassive black hole at the Galactic Centre

 

Fonte/Adaptado de: Ciência Hoje

 

—————

Voltar