O bosão de Higgs existe? A resposta deverá manter-se: talvez sim, talvez não

13-12-2011 14:10
É uma espécie de Santo Graal da física de partículas. Para quem fica na mesma depois de ler esta definição, os jornalistas resolveram chamar-lhe "partícula de Deus". O verdadeiro nome é Higgs, bosão de Higgs, e podemos estar a poucas horas de saber... que ainda ninguém tem a certeza absoluta de que ele existe.
 

 

Se havia esperanças de que o seminário que vai decorrer hoje à tarde, a partir das 13h, no Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN), na Suíça, iria responder "sim" ou "não" à pergunta "Conseguiram detectar o bosão de Higgs?", os cientistas encarregaram-se de manter as expectativas mais ou menos no mesmo nível dos últimos 30 anos. No site oficial do CERN, pode ler-se que os dados recolhidos até hoje "são suficientes para fazer progressos significativos na procura pelo bosão de Higgs, mas insuficientes para fazer alguma declaração conclusiva sobre a sua existência ou não-existência".

A existência do bosão de Higgs foi postulada na década de 1960 pelo físico britânico Peter Higgs. Antes dele, Isaac Newton descobrira que a gravidade é a força de atracção que existe entre todas as partículas com massa e Albert Einstein demonstrara a equivalência entre massa e energia, mas nada disto serviu para responder a duas questões: o que é, afinal, a massa, e de onde é que ela provém?

Enquanto esta partícula subatómica não for detectada, os cientistas não conseguem explicar a existência da própria matéria, à luz do actual modelo de compreensão da matéria e das forças que a unem - o Modelo Standard. Por outras palavras, sem o bosão de Higgs fica mais difícil explicar porque é que existem coisas no Universo.

O bosão de Higgs já foi observado indirectamente, mas nunca foi apanhado nas redes do acelerador do CERN desde a entrada deste em funcionamento, em 2008. A função do grande acelerador de partículas é esmagar partículas subatómicas umas contra as outras a grandes velocidades, na esperança de que dessas colisões resulte a produção do bosão de Higgs.

 

Fonte/Adaptado de: Jornal Público

 

 

—————

Voltar