O porta aviões...de gelo

21-09-2010 22:34

Em 1942, no auge da 2ª Guerra Mundial, o governo britânico chefiado por Winston Churchill, financiou o protótipo do porta aviões Habakkuk, uma embarcação de guerra com 600 metros de comprimento e uma largura de 92 metros, cuja principal matéria-prima era gelo! De acordo com Geoffrey Pike, o pai desta estranha ideia, o gelo, misturado com polpa de madeira poderia adquirir uma resistência equivalente à do betão. No entanto, rapidamente se concluiu que pô-lo a flutuar iria exigir um esforço incomportável, tanto a nível económico como técnico.

A quilha seria construída num berço de madeira sobre o leito de um rio e colocada a flutuar em águas profundas, onde seriam adicionados costados e convés. Seria construído com blocos cúbicos de picreto (84% gelo, 16% celulose), de 3 a 6 metros de lado.
Os 26 motores eléctricos (13 de cada lado) seriam alimentados por um gerador central, a turbina. A figura mostra, em torno da pista de aterragem, um total de 12 instalações para canhões antiaéreos.

O nome do projecto é uma alusão a um versículo do livro de Habacuc (Velho Testamento), atribuído ao profeta do mesmo nome: “Vede o espetáculo no meio das nações, abalai-vos! Pois, desde já, alguém passa à acção, e vós não acreditais quando vo-lo contam!”.

Estimou-se que a construção exigiria 280 mil blocos de picreto e exigiria oito mil homens durante oito meses, com um custo de US$ 70 milhões (ou cerca de US$ 800 milhões a preços de hoje). O Habakkuk serviria principalmente como escala para aviões, numa época em que os aliados contavam com poucos bombardeiros de longo alcance.
A ideia, naturalmente, deixou de ter atrativos depois de, com o surgimento da bomba atómica, ter deixado de fazer sentido pensar-se em navios inafundáveis.


Só para comparar, os maiores porta-aviões nucleares hoje existentes são os nove navios norte-americanos da Classe Nimitz, cujo comprimento total é de 340 metros, o deslocamento de 91.800 toneladas métricas, a largura ao nível da água é de 40,8 metros (78,3 m no convés de pouso, mas na época do Habakkuk não se pensava conveses angulares) e o calado é de 12,2 metros. São muito menores, mas bem mais caros: um deles, o Ronald Reagan (comissionado em 2002), custou US$ 4,3 mil milhões.

A tripulação do Habakkuk seria de 2.000 homens. Segundo o site Furashita’s Fleet, poderia transportar 150 aviões bimotores e seria armado com 80 canhões de 114 mm e numerosos canhões antiaéreos leves. A sua velocidade máxima seria de 10 nós.

—————

Voltar