O planeta que não deveria existir

04-11-2013 15:26

Um grupo de cientistas descobriu provas de que um planeta se está a formar a uma distância nunca antes vista da sua estrela, o que desafia uma das atuais teorias acerca da formação de planetas.
Esta massa descoberta através do telescópio Hubble, da Nasa, está a 12 mil milhões de quilómetros da sua estrela, ou seja, o dobro da distância existente entre Plutão e o Sol.
Dos cerca de 900 planetas fora do sistema solar que foram confirmados até agora, este é o que está mais distante da sua estrela. Está em órbita em redor da TW Hydrae, uma estrela anã laranja que se encontra a aproximadamente 176 anos luz de distância da Terra.
A teoria mais aceite para a formação planetária diz que um planeta a 12 mil milhões de quilómetros do seu sol deveria levar 2 mil milhões de anos a formar-se. mas a TW Hydrae tem apenas 8 mil milhões de anos, pelo que dificilmente teria planetas.

 

A descoberta foi publicada no The Astrophysical Journal no artigo intitulado The 0.5-2.22 μm Scattered Light Spectrum of the Disk around TW Hya: Detection of a Partially Filled Disk Gap at 80 AU

 

Mais informação: 

NASA

Hubble Space Telescope/ESA

 

Fonte/Adaptado de: DN Ciência

—————

Voltar