Polvo gigante mandou nos mares há 200 milhões de anos

13-10-2011 14:25

Parque Estatal Berlin-Ichthyosaur (Nevada, EUA) poderia ser um covil do “monstro marinho”

Através do estudo das marcas encontradas em ossos de nove ictiossauros (Shonisaurus popularis) com 15 metros de comprimento, que viveram durante o Triásico (há mais de 200 milhões de anos), um grupo de investigadores norte-americanos diz ter bases para confirmar a existência de um gigante ser marinho, provavelmente um grande polvo ou uma lula, idêntico ao mitológico kraken, o monstro da mitologia nórdica.

Este animal, capaz de matar e alimentar-se dos maiores predadores da sua época não deixou evidências directas da sua existência, pois o seu corpo decompunha-se rapidamente após a morte, impedindo o processo de fossilização.

 

 

Um grupo de investigadores liderado por Mark McMenamin, do Mount Holyoke College (Massachussets), estudou durante vários anos a morte de nove répteis marinhos encontrados precisamente no Parque Estatal Berlin-Ichthyosaur, no Nevada (EUA), onde se encontram preservados os fósseis.

Até agora, a explicação para a morte desses animais seria o aparecimento de um tipo de plâncton tóxico. Mas estes paleontólogos têm uma visão diferente.

Aquando da descoberta dos ossos, McMenamin ficou surpreendido pela sua disposição, que sugeria que nem todos tinham morrido ao mesmo tempo. Tudo indica que os restos tenham sido colocados nessa posição com um propósito concreto, que lembra o que fazem os polvos actuais com as suas presas quando as levam para as “tocas”.

As marcas nos ossos dos ictiossauros sugerem que uma criatura parecida com um polvo ou uma lula gigante sufocou os animais, partindo-lhes o pescoço. Além disso, as vértebras mostram marcas que remetem para a forma das ventosas do tentáculo de um cefalópode. O Berlin-Ichthyosaur State Park será, segundo os investigadores, o covil do kraken que os matou.

 

Fonte/adaptado: Ciência Hoje

 

—————

Voltar