Portugueses descobrem ser vivo mais velho da Terra

14-02-2012 09:57

Um grupo de cientistas portugueses descobriu o ser vivo mais velho da Terra, uma erva marinha que cresce no Mediterrâneo e que pode ter mais de 100.000 anos. A equipa de cientistas que integra investigadores da Universidade do Algarve viu a sua descoberta ser publicada esta semana na revista Public Library of Science One.

 

Posidonia Oceanica (Ibiza-Formentera) Patrimonio de la Humanidad from Juan Pacheco Tirado on Vimeo.


De nome científico Posidonia oceanica, a erva marinha é uma angiospérmica, ou seja, pertence ao grupo das plantas que dão flores, e cresce apenas do mar Mediterrâneo. Apesar de se reproduzir sexualmente, a planta utiliza na maior parte das vezes indivíduos clones para se ir dispersando. A erva demora 600 anos para cobrir um espaço de 80 metros nas pradarias subaquáticas do Mediterrâneo.

O grupo de cientistas liderado por Ester Serrão, do Centro de Ciências do Mar, da Universidade do Algarve, contou com apoio de investigadores espanhóis.

A planta que deverá ser a mais antiga do mundo tem 15 quilómetros de extensão e foi descoberta ao pé da ilha espanhola Formentera. Os cientistas estimam a sua idade em cerca de 100 mil anos.

 

Artigo: Implications of Extreme Life Span in Clonal Organisms: Millenary Clones in Meadows of the Threatened Seagrass Posidonia oceanica

 

 

—————

Voltar