Três novos elementos químicos aprovados para a tabela periódica

09-11-2011 09:04

Consiste num ordenamento dos elementos conhecidos de acordo com as suas propriedades físicas e químicas

A tabela periódica vai integrar três novas referências: contando com os elementos 110, 111 e 112, darmstádio (Ds), roentgénio (Rg) e copernício (Cn). A aprovação foi dada, na passada sexta-feira, pela União Internacional de Física Pura e Aplicada durante uma conferência que decorreu no Instituto de Física em Londres (Reino Unido).

No entanto, os elementos são tão grandes e instáveis que só podem ser feitos em laboratório, não se sabe muito sobre eles, não são encontrados na natureza e desfazem-se em outros elementos muito rapidamente.

 

O Darmstádio, elemento 110, foi sintetizado pela primeira vez a 9 de Novembro de 1994, perto da cidade de Darmstadt, por Peter Armbruster e Gottfried Münzenberg. Foi criado na quebra de um isótopo pesado de chumbo com o níquel-62, que resultou em quatro átomos de darmstádio.

Já o 111, roentgénio, foi originalmente descoberto em 1994, quando uma equipa criou três átomos do elemento, um mês após a descoberta do darmstádio, a 8 de Dezembro e foi chamado assim em homenagem ao físico alemão Wilhelm Conrad Roentgen (1845-1923).

Faltava uma reverência a Copérnico e por isso, o novo elemento 112, copernício, vem como referência ao astrónomo prussiano (1473-1543), o primeiro a sugerir que a Terra girava em torno do sol, e não o contrário. Os cientistas criaram um único átomo deste elemento extremamente radioactivo a 9 de Fevereiro de 1996, por esmagamento em conjunto de zinco e chumbo. Desde então, um total de cerca de 75 átomos de copernício foram criados e detectados.

A tabela periódica consiste num ordenamento dos elementos conhecidos de acordo com as suas propriedades físicas e químicas, em que os elementos que apresentam as propriedades semelhantes são dispostos em colunas. Este ordenamento foi proposto pelo químico russo Dmitri Mendeleiev.
 
Fonte/adaptado: Ciência Hoje

—————

Voltar