Universidade do Minho cria robôs que tomam decisões

05-01-2012 14:34

O Departamento de Eletrónica Industrial da Universidade do Minho está a desenvolver um projecto que procura responder ao desafio ambicioso de dotar robôs de uma mobilidade inteligente e adaptativa. Segundo Cristina Peixoto Santos, professora da UMinho e coordenadora do projecto, "uma das aplicações futuras passa pela criação de próteses e membros artificiais mais naturais, contribuindo para a mobilidade, autonomia e reabilitação de pessoas com membros amputados".

 

A inovação está em integrar controladores biológicos no modelo, conferindo aos robôs um padrão de movimento mais natural e menos robótico e uma capacidade de se adaptar ao meio em que se move. O objectivo perseguido no trabalho "Locomoção Adaptativa e Inteligente" concentra-se na programação de robôs para que, de forma autónoma, tomem decisões, através de uma arquitectura, que reproduz o que se passa no sistema nervoso humano. Neste projecto de investigação, que conta com a colaboração do Instituto Superior de Engenharia do Porto, desenvolve-se a arquitectura de controlo da locomoção de robôs quadrúpedes, que lhes permitirá lidarem com ambientes desconhecidos, sendo capazes de criar alternativas no seu percurso, perante diferentes tipos de terreno e obstáculos. A aplicação deste trabalho parte dos modelos biológicos, procurando replicar a resposta do sistema nervoso a problemas de controlo.

 

A originalidade do software de controlo reside na capacidade de aprendizagem, que permite que o robô assimile situações já experienciadas de forma a não repetir o mesmo erro. Este "Locomoção Adaptativa e Inteligente" é financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia com o montante de 197 mil euros e tem conclusão prevista para 2013.

 

Fonte: UMdicas

—————

Voltar