A colher que derrete

A colher que derrete

 

Esta não é uma actividade muito simples de fazer em casa. Essencialmente porque os materiais (o metal gálio e o molde da colher) não se vendem na loja do chinês. Mas é uma experiência bem curiosa e com um efeito visual espectacular. E pode sempre tentar arranjar os materiais comprando através da internet em disappearingspoons.com. O kit mais simples custa cerca de 70 euros (não é propriamente barato, mas também não é nenhuma fortuna) e inclui um manual com isntruções e dicas para fazer a sua colher de gálio, 26 g de gálio (deve dar para fazer duas colheres, pode ser reaproveitado, se tomadas as devidas precauções), parafusos e fixações do molde de silicone, também este incluído no kit, e uma seringa para injecção do gálio no molde. Resulta num truque que seguramente vai fazer furor junto dos seus amigos e/ou alunos.

 

Um metal pode derreter nas nossas mãos? Se esse metal for o gálio, sim. Esta substância, que visualmente lembra o alumínio, tem um ponto de fusão (o ponto em que algo deixa de ser sólido e se torna líquido e vice-versa) de cerca de 30 graus Celsius, pelo que pode derreter à temperatura ambiente, se o dia estiver quente.

Nesta experiência de física, foi construída uma colher de gálio usando-se um molde de silicone. O gálio líquido foi injetado dentro do molde com a ajuda de uma seringa. Quando o metal arrefeceu, tinha-se uma colher sólida, de metal.

Mas a colher de gálio é muito diferente das colheres comuns. Quando colocada em contacto com algo que esteja a mais de 30 graus, ela derrete. Foi o que ocorreu no vídeo. Colocada na água quente, a colher praticamente desapareceu, deixando uma “poça” de gálio líquido no fundo do copo.

Hoje, uso mais comum do gálio é na fabricação de componentes eletrónicos.

 

Fonte: Manual do Mundo de Iberê Thenorio