Descobrir a pólvora

Descobrir a pólvora

Descobrir a pólvora

 

 

Atenção: A preparação de pólvora é uma actividade que requer extremo cuidado. Deve ser realizada tomando em conta todas as iniciativas de segurança requeridas e na presença de um adulto que compreenda as reacções químicas em jogo e os perigos daí decorrentes.

    

Material e reagentes: 

Almofariz com mão;

Gobelés ou vidros de relógio;

Nitrato de potássio;

Enxofre em pó;

Carvão em madeira;

Balança;

Luvas de protecção;

Óculos de segurança.

  

A origem da pólvora está rodeada de mistério. A pista mais aproximada é uma carta datada de 1.247 d.C., onde o sábio inglês Roger Bacon fala de uma substância capaz de produzir explosões barulhentas e brilhantes.

Uma lenda explica sua origem: um monge alemão, Bertold Schwarz, alquimista, tentava conseguir uma tintura de ouro. Acabou levando ao fogo, num grande caldeirão, salitre, carvão e enxofre. Como esses três elementos juntos dão pólvora, o resultado da sopa do alquimista foi uma bela explosão.

O que se sabe de mais certo é que na primeira metade do século XIV a pólvora chegou à Europa, trazida da China por Marco Polo.

  

Explicação:

 

A pólvora consiste em nitrato de potássio, carvão de madeira e enxofre na proporção mássica de 6:1:1. Quando se aquece a pólvora, a reacção é:

 

2 KNO3 (s) + S (s) + 3 C (s)  →  K2S (s) + N2 (g) + 3 CO2 (g)

 

A formação repentina de gases quentes em expansão dá origem a uma explosão.

 

 

Fonte: Clube de Físico-Química da Escola Secundária da Calheta