Custom Search

Conheça os artigos em  DESTAQUE...  esta semana


Afinal, o que é o Bosão de Higgs?

 

O que é o  Bosão de Higgs ? Porque lhe chamam "a partícula de Deus"? Agora que o prémio Nobel foi recentemente atribuído à equipa que previu a existência de tal partícula, confira neste artigo da Horizon informação bem interessante que poderá ajudar a compreender melhor o assunto.

 


 Teoria da relatividade de Albert Einstein

 

"O que é o tempo?"

Esta pergunta simples tem intrigado, de alguma forma, todas as gerações de seres humanos que passarm pela Tera, e todos nós já pensamos sobre ela, numa altura ou noutra.

Descubra o que Einstein tem a dizer sobre o assunto no artigo publicado da última edição da Horizon.

 


Determinação do Zero Absoluto

 

Numa escala progressiva, o zero absoluto é a menor temperatura possível. Teoricamente, seria a temperatura na qual a entropia atingiria seu valor mínimo que, segundo a interpretação clássica, a energia cinética e térmica mutuamente equivalem a zero. As leis da termodinâmica afirmam que o zero absoluto não pode ser alcançado utilizando-se apenas métodos termodinâmicos.

O zero absoluto Kelvin equivale a -273,15°C da escala Celsius e a -459,67°F na escala Fahrenheit. Cientistas já atingiram temperaturas muito próximas do zero absoluto, onde a matéria exibe efeitos quânticos "estranhos" como, por exemplo, a supercondutividade e a superfluidez.

Como determinar, então, o zero absoluto?

 


Ressonância Magnética Nuclear

 

A ressonância magnética nuclear é um fenómeno físico que foi inicialmente descrito por Isidor Rabi e lhe valeu o Prémio Nobel da Física em 1944.

Quando os átomos de um dado material (como o corpo humano) sentem a ação do campo oscilante, parte dos núcleos que tenham essa frequência natural absorvem energia – tomando assim o sentido do campo constante – e os seus movimentos de precessão entram em fase. Ao retirar o campo magnético oscilante, os núcleos reemitem essa energia, criando um sinal eletromagnético que pode ser medido pelos detectores.
Apesar do princípio físico descrito ser conhecido há mais de meio século e a primeira imagem em 1D ter sido obtida em 1952, só em 1977 é que a primeira ressonância magnética de corpo inteiro foi feita, publicada
no inicio de 1980.