Novo fármaco contra obesidade ‘mata’ a gordura

11-11-2011 13:44

Investigadores da Universidade do Texas e do Anderson Cancer Center (EUA) testaram com êxito um tratamento contra a obesidade. O novo fármaco chamado Adipotide provoca perda de peso e elimina a gordura acumulada no abdómen. Ao contrário de outros fármacos com a mesma finalidade, que cortam o apetite ou impedem a absorção de gorduras, este imita o mecanismo de acção de alguns dos tratamentos contra o cancro que cortam o fornecimento de sangue e oxigénio aos tumores para deixá-los sem nutrientes e ‘matá-los à fome’.

Seguindo esta estratégia, o medicamento dirige-se às células de gordura branca, as mais prejudiciais ao organismo. Estas morrem e são reabsorvidas pelo organismo. Até agora, a eficácia do método só foi provada em macacos e os resultados do estudo aparecem na «Science Translational Medicine».

Após um mês de tratamento com injecções diárias, os animais perderam 11 por cento do seu peso corporal. O peso, a circunferência abdominal e o índice de massa corporal (proporção peso/altura) continuaram a cair durante três semanas após o tratamento.

Além disso, os animais melhoraram a sua resistência à insulina, indicador que leva ao desenvolvimento da diabetes tipo 2. O desaparecimento da gordura branca demonstrou-se em imagens de ressonância magnética antes e depois do tratamento.

Quanto a efeitos secundários, não houve nada de grave a assinalar. Os animais não perderam o apetite nem mostraram sinais de náuseas. O único efeito adverso observou-se nos rins. No entanto, os investigadores esclarecem que este problema é previsível e reversível.

Apesar de a gordura ser essencial para manter o equilíbrio energético e ajudar a regular a temperatura do corpo, nem toda ela é igual. Como no colesterol, existe uma gordura boa que queima energia para manter a temperatura adequada e a má que armazena as calorias a mais. Esta última, a gordura branca, aumenta o risco de problemas cardiovasculares.

Artigo: A Peptidomimetic Targeting White Fat Causes Weight Loss and Improved Insulin Resistance in Obese Monkeys

 

Fonte: Ciência Hoje

—————

Voltar