Sangue artificial pode ser produzido nos próximos dez anos

04-11-2011 11:39

Ensaios clínicos para testar o sangue criado a partir de células estaminais adultas devem começar dentro dos próximos dois ou três anos. A notícia aumenta a expectativa de que o sangue artificial poderá, em breve, tornar-se rotineiramente utilizado quando não há glóbulos vermelhos humanos disponíveis, avança o The Telegraph.De acordo com o jornal britânico, os cientistas também estão a desenvolver substâncias parecidas com sangue que poderão ser injectadas no corpo como uma alternativa provisória até que uma transfusão de sangue natural seja executada.

Produzir sangue a partir de embriões:

1. Embriões produzidos por fertilização in vitro são testados relativamente ao grupo sanguíneo O-negativo. Desenvolvem-se depois durante alguns dias até que as células estaminais possam ser extraídas;

2. As células estaminais são cultivadas em laboratório recorrendo a nutrientes que estimulam a produção de glóbulos vermelhos;

3. Procede-se, finalmente, à remoção dos núcleos para obtenção de células transportadoras de oxigénio maduras. Serão necessários milhões de milhões destas células para a criação de um banco de sangue. (BBC News)

 

Os cientistas da Universidade de Edimburgo, na Escócia, estão a usar células estaminais da 
medula óssea para fazer crescer um material que se assemelha aos glóbulos vermelhos criados naturalmente no corpo humano.

A equipa está a trabalhar para produzir sangue do tipo O Negativo, compatível com 98 por cento da população mundial, mas produzido por apenas sete por cento. Como será desenvolvido em laboratório, o sangue artificial estará livre de qualquer vírus ou doença, como HIV e hepatite.

Este sangue não poderá ser um substituto para o sangue natural, mas apenas actuar provisoriamente quando surgirem pacientes que necessitam urgentemente de transfusões e essas não podem ser feitas. Exemplos disto são os tratamentos nas ambulâncias, zonas de guerra, zonas de desastres naturais, etc.

Segundo um dos cientistas, Marc Turner, “vai demorar cerca de 10 anos para os glóbulos vermelhos artificiais começarem a ser usados na prática clínica”, o que significa que não se devem acabar com as doações de sangue.
 
 
Outras fontes de informação:
 
 
 
 
 
Fonte/Artigo adaptado de: Ciência Hoje
 

—————

Voltar